Um iniciador para o Corax & Grum

Um iniciador para o Corax & Grum

Diary / Um iniciador para o Corax & Grum

Nota do responsável: eu tentei gerar uma caixa de areia para poucos personagens para simbolizar pequeno número de idéias que eu tinha. Contrariamente produzir novos mundos para qualquer história, eu tentei produzir um envolvente onde um monte de coisas podem sobrevir.

As paquete desta caixa de areia emprestam algo das princípios contemporâneas da pop-science, como as princípios de diversos mundos na cosmologia. Estas histórias não são destinadas a ser uma aderência estrita a estas teorias científicas, então, não enerves se eu não estiver acompanhar o que achas que são as actuais interpretações destas teorias à letra. Desta forma ficção, mas exclusivamente, é a minha ficção de super hentai.

*****

I. menorreia para o colectivo Multiverso de Corax & Grum

O cosmos quando vivemos possui limites. Está a expandir-se, porém há uma vantagem no que é sustentado dentro



Qualquer acontecimento neste cosmos é o resultado das interações de todas e cada uma das partículas que compõem este cosmos. Qualquer uma destas interacções possui uma possibilidade sócia ao resultado da interacção.

Se 2 átomos de hidrogénio colidirem, o mas rápido recuperará? Vai explodir num ângulo? Que ângulo seria esse? Todos e cada um dos resultados têm uma possibilidade relacionada com isso.



Para qualquer interação, há uma possibilidade que está sócia com todos e cada um dos resultados possíveis, incluindo os resultados que acreditamos serem "impossíveis". Por ex, que o corpúsculo de hidrogênio mas rápido não vai saltar, porém em vez passar direto através do mas lento. Tal possibilidade é bastante pequena, porém ainda existe. Deve ocorrer.



Na teoria "vários mundos", qualquer novo acontecimento, qualquer interação, a possibilidade superior do resultado dessa interação, cria um acontecimento subatômico que cria um cosmos inteiro, construído apenas para explorar essa provável Interação-um acontecimento Big Bang que é construído em derredor desse acontecimento sendo explorado. Isto inflama para um cosmos separado.



Estes universos "gerados" são cópias exatas do cosmos de onde veio, até o detalhe do acontecimento único. Depois dessa interação acontecer, logo os resultados da saída criam novas interações potenciais informações. Há um novo fado para esse cosmos fundamentado numa apenas alteração. Talvez mude. Talvez tudo mude. É isso que significa explorar todas e cada uma das probabilidades. Qualquer cosmos desenvolvido é essencialmente uma exploração da possibilidade-o cosmos é um gerador de possibilidade constituído físico.



A arrebentar destes universos desovados, um conjunto inteiro de universos únicos, qualquer um com suas próprias probabilidades únicas, deve ser gerado gerado, qualquer um com um resultado ligeiramente dissemelhante, praticamente ad infinitum.



Toda gente estes universos são limitados contidos em espaço ainda maior. O espaço maior é o coletivo.



O tempo é uma dimensão de qualquer cosmos (ou veras fechada "CR"). Vivendo dentro dessa CR, o tempo se move em uma direção. Apesar disso, de fora do cosmos, o tempo deve ser agitado em direção.



O tempo só existe em qualquer "cosmos".

Relógios contido em um CR podem não funcionar na mesma "rapidez" que outros. Apesar disso, a passagem do Tempo em uma CR é proporcional à taxa de alteração entrópica (ou melhor, os "spans para toda a vida" dos seres dentro dessa CR). Três anos em nossos relógios CR podem passar em três segundos em um relógio CR chegado, comparativamente, porém os seres naquele outro CR ainda envelheceria três anos sobre essa mesma quantidade de tempo.



Dentro da rede maior de todas as outras universos gerados, há um multi-revés ("coletivo"); as dimensões além da fronteira CR que contêm todos e cada um dos universos individuais juntos. Neste espaço coletivo, não há tempo.



No espaço coletivo, o tempo é uma força um (porém não "o") material de construção do coletivo. Porém o "tempo" para marcar o aumento para a na frente de da entropia um fluxo (de culpa a efeito) não existe num sentido que experimentamos na CR individual.



II. menarquia para o Tempo em coletivo de Corax & Grum

Viajar no tempo em uma superior CR é impraticável.



Visto de fora do limite de CR, todos e cada um dos informações possíveis dentro desse CR, a partir de o promanação do CR (seu Big Bang) até o calor da morte do cosmos (ou Big Crunch se você está em um cr deflacionista) estão presentes visualizáveis

Isso quer dizer que você deve ver acontecimento, a instante em todo o CR com a conhecimento apropriada. Você deve rebobinar progredir para ver coisa.



A partir de que tenhas escolhido um CR semelhante o suficiente, podes ver os dinossauros extinguirem-se, ver- ser concebido ou ver quem matou o JFK, tudo num momento.



Se bem que CRs pai--fruto estão conectados no coletivo, não há nenhum "relógio" fazendo-os percorrer. São completamente independentes. Que o pesquisador deixa um CR observa outro CR, eles podem observar a instante.



Do lado de fora da fronteira, não há interação em dentro da CR. Não deve possuir alteração de informações fora da fronteira.



Para # 1 & 2, uma conceitualização simples é imaginar observar a um serviço de streaming como o Netflix. Os personagens no apresentação estão em seu CR, o testemunha está fora do limite CR, olhando para dentro. Os personagens do apresentação não podem mudar o enredo ou informações dentro da história. Eles também se movem através da história em uma risco do tempo reta, do início no final, uma cena para a próxima. O testemunha está fora do CR deve saltar à roda do tempo presenciar a quaisquer cenas em ordem. O testemunha também não deve modificar o esboço dos resultados do programa a ser visto.



"viagem no tempo" é realizada por

deixando um CR,



descobrir um (ou mas) Sir virtualmente idêntico (CR fruto ou pai));



Escolher o tempo a localização adequados fora do CR



Vê o transtorno.



A interação com informações no CR que você está vendo não é provável (o visualizador está fora do CR, apesar das aparências; deve parecer que você está lá, porém você não está. Não é provável interacção.).



Usar a conformidade Netflix, isso quer dizer que você deve ir para a na frente de ou para trás no tempo para ver todos e cada um dos informações possíveis dentro desse CR.

Mudar o pretérito ("semear um novo acontecimento") por intermédio de CRs coletivos é provável, porém requer a assistência dos seres do coletivo.



Devido à natureza da contaminação à incompatibilidade inseparável das potenciais diferenças entre SIR, unicamente um holograma de informação deve ser atrasado de um para outro.

Isto significa telefonemas, programas de televisão, -mails, etc. só deve cruzar entre CRs.



A interferência direta só é provável por entidades do coletivo, que dificilmente aprovarão tais ações.



A semente de vigor ("holograma") da CR original é tomada através do limite da CR entra no espaço coletivo (isto requer intervenções diretas por um e outro Corax & Grum)



Localizar um (ou mas) CRs apropriado (isto requer Grum)



Um holograma da semente é projetado na CR (requer Corax)



O acontecimento é mais uma vez necessário, sobrepondo o acontecimento original (de novo, Corax)



Como observado, viagens no tempo em CR não é provável. Logo, se um acontecimento é mais uma vez necessário, este só deve acontecer em CRs desovados. O CR originário é deixado sem a alteração, porém todas e cada uma das desova do acontecimento seria afetado pela alteração. De forma, um número infinito de desova são lesados, porém ao menos um CR (o CR originário) segue a risco do tempo inalterada.



III. menarquia para os personagens conhecidos que populam o coletivo

Em qualquer CR, a vida abunda em muitas formas. A vida que se torna autoconsciente tem uma certa vigor que se infiltra nas dimensões mas altas do coletivo. Esta é a vigor recolhida na morte do tipo para um propósito ainda incógnito.

Esta pujança da vida não é uma espírito. A perfuração do limite CR torna-os simplesmente faíscas estúpidas de pujança.



Até o momento, no coletivo, há 3 tipos de seres que lidam com as energias da vida.

O ceifador-responsáveis por separar a pujança da vida de um único ser.



Corax-metade da psicopompa coletiva, a escolta da vigor vital para através da fronteira CR



Grum - a outra metade do psicopomp da coletividade. O portador da força vital dentro das dimensões do coletivo até seu orientação final.



Como Corax carrega uma força vital através do limite de uma CR, ela deixa uma marca na membrana limite dessa CR.



Personagens mortais podem ser "renascidos" em uma CR a gretar da marca de vigor deixada na membrana CR à proporção que passa para ir para o coletivo.

De forma, a lucidez, a experiência para toda a vida a memória de um sujeito podem ser restauradas em um corpo re-desenvolvido de idade. Você deve ter um corpo de 2 anos que é implantado com as canhenho de um varão de 80 anos.



A marca em si não está viva. Mas uma vez, não há almas nem firmamento



A imagem da pujança deve ser impressa em entidades coletivas (dando à Entidade uma aspecto humana, canhenho emoções, aguentando as capacidades extra-dimensionais da entidade)



Entidades coletivas (Corax & Grum, Harvesters) existem nas dimensões superiores do coletivo.

Para uma entidade coletiva entrar ou interrelacionar em CR, o que verdadeiramente aparece nas dimensões mas baixas da CR é um avatar. Essencialmente, o avatar é uma representação do modo de Deus da entidade, com intenção de eles não envelhecem, ficam feridos ou precisam de comida, agua, etc.



A aspecto ou peculiaridades físicas do avatar dependem do humortemperamento da entidade. Varias vezes, as entidades terão uma fisionomia por conveniência ou hábito. Grum parecido ter um tino de humor ao separar seus avatares CR, escolhendo uma representação linda ou aparentemente inofensiva como isca.



As entidades podem mudar os seus avatares a instante



As entidades podem de fato fiscalizar o tamanho de seu avatar, escalando-se para cima ou para grave em tamanho. Como seres trans-dimensionais, eles podem ser considerados tão grandes quanto uma CR ou mas.



Entidades podem entrar na CR sem um avatar (como Grum faz), porém como criaturas trans-dimensionais entrando em uma dimensão subalterno, sua aspecto deve ser horrivelmente irreconhecível.



As entidades coletivas precisam de vigor, porém não"comem".